Elipse Clínica Multidisciplinar

Diagnóstico e Acompanhamento nas Dificuldades Alimentares

“Alimentar-se normalmente é ser capaz de comer quando você está com fome,..., e ser capaz de escolher os alimentos que você gosta e comê-los até aproveitá-los suficientemente... Alimentar-se normalmente é dar permissão a você mesma para comer às vezes porque você está feliz, triste ou chateado ou apenas porque é tão gostoso... É também deixar alguns biscoitos no prato porque você pode comer mais amanhã,..., confiar que seu corpo consegue corrigir os errinhos da sua alimentação... Resumindo, o “comer normalmente” é flexível e varia em resposta às nossas emoções, nossa agenda, nossa fome e nossa proximidade com o alimento.” (Satter, 1987).

Atualmente cresce o apelo de que as pessoas, para serem bonitas, devem ser magras e jovens; ao mesmo tempo, são bombardeadas diariamente com a indústria alimentícia, ora tratando o alimento como uma “tentação e pecado”, ora enviando falsas crenças do que é, de fato, uma alimentação saudável.

O aumento da oferta de alimentos e do tamanho das porções somado ao sedentarismo (estimulado cada vez mais por facilidades tecnológicas) faz com que a preocupação a respeito da autoimagem vá aumentando gradualmente. Neste contexto aumentam as dificuldades alimentares, reflexo das contradições impostas na formação da pessoa.

Nosso objetivo é atender o público (crianças, adolescentes e adultos) que apresenta algumaquestão alimentar;atuandocom a equipe multidisciplinar mais adequadapara o sucesso do tratamento, bem como para a prevenção de outras doenças relacionadas e a conscientização e orientação familiar.

Por que trabalhamos com uma equipe multidisciplinar?
Sabendo da dificuldade de diagnóstico nas dificuldades alimentares, contamos com uma equipe multidisciplinar composta por psicólogos, nutricionista e psiquiatra.

Como trabalhamos:
O nosso tratamento é dividido em duas fases: diagnóstico e acompanhamento.
O diagnósticoenvolve7 sessões, distribuídas da seguinte maneira:
• 2 sessões com os pais, a primeira – anamnese - e a última – devolutiva;
• 3 sessões com uma psicóloga;
• 2 sessões com uma nutricionista.
Dependendo da gravidade do caso, existe a possibilidade da inserção de um psiquiatra no processo.

O acompanhamento consiste em um trabalho de 8 meses, no qual são abordados temas específicos e são trabalhadas questões individuais, da seguinte maneira:
• 32 sessões com a nutricionista;
• 32 sessões com a psicóloga;
• 10 sessões de orientação aos pais, no caso de crianças e adolescentes;
Ao final dos 8 meses, é feita uma reavaliação com possibilidade de encerramento do processo ou continuação do mesmo.


Você está aqui: Diagnóstico e Acompanhamento nas Dificuldades Alimentares