Elipse Clínica Multidisciplinar

O Processamento Auditivo (Central)

Fga Ana Cristina Martins Ribeiro

O Processamento Auditivo (Central) se refere aos processos envolvidos na detecção, análise e na interpretação de eventos sonoros. Estes processos acontecem no sistema nervoso auditivo central e é desenvolvido nos primeiros anos de vida.

É a partir da experienciação do mundo sonoro que aprendemos a ouvir. De uma forma simples, processamento auditivo significa o que fazemos com aquilo que ouvimos!

A alteração do processamento auditivo se refere a um transtorno auditivo em que há um impedimento da capacidade de analisar e/ou interpretar padrões sonoros. As dificuldades do Processamento Auditivo podem prejudicar diversas áreas do desenvolvimento incluindo a fala, a linguagem, as habilidades da leitura e escrita e a aprendizagem.

É pela via auditiva que aprendemos grande parte da linguagem. Assim, é necessário que a criança consiga processar de forma adequada a informação auditiva para aprender bem. Quando as habilidades auditivas estão alteradas, a escuta torna-se mais difícil e consequentemente o processo de aprendizagem torna-se mais penoso e desgastante.

A criança, o adolescente ou adulto com dificuldades de Processamento Auditivo podem apresentar inabilidade para ter atenção auditiva, discriminar, lembrar, compreender e organizar a mensagem ouvida, mesmo que tenham inteligência e audição normais.

Algumas manifestações comportamentais que podem ser observadas na pessoa com dificuldades de Processamento Auditivo são:

• Não atende sempre quando chamada, ou precisa ser chamada várias vezes;
• Solicitação freqüente da mensagem falada (“Hã? “O que?" “Não entendi”...);
• Tempo de atenção curto;
• Distração freqüente;
• Inquietude motora, agitação ou muito quietos;
• Dificuldade para seguir direções e instruções orais;
• Dificuldade para memorizar mensagens ouvidas;
• Respostas insconsistentes aos estímulos auditivos e/ou demora para responder;
• Distúrbios articulatórios e dificuldades na aquisição da linguagem;
• Problemas de linguagem expressiva envolvendo regras da lingua (estrutura gramatical);
• Dificuldades em acompanhar uma conversa com muitas pessoas falando ao mesmo tempo;
• Dificuldade para ouvir na presença de ruídos competitivos e/ou salas altamente reverberantes.
• Dificuldades em compreender piadas ou mensagens de “duplo sentido”;
• Dificuldades para contar uma história ou dar um recado;
• Dificuldades para aprender a ler e escrever;
• Dificuldades em entender o que lê;
• Dificuldade em aprender músicas ou ritmos;
• Dificuldade de relacionamento com crianças da mesma faixa etária, baixa auto-estima, entre outros sintomas.

A terapia fonoaudiológica focada na Reabilitação do Processamento Auditivo tem o objetivo de adequar as habilidades auditivas alteradas e auxiliar o indivíduo a criar estratégias para lidar com as dificuldades de comunicação que apresenta.

Desta forma, a terapia é individualizada e o programa terapêutico é definido com base nas dificuldades apresentadas pelo indivíduo e nas alterações apontadas na Avaliação do Processamento Auditivo.

São utilizados recursos gráficos e áudio-visuias e realizadas atividades com fones de ouvido para o trabalho com as habilidades auditivas, de acordo com a necessidade de cada caso.
Você está aqui: Artigos O Processamento Auditivo (Central)